Tempo de leitura: 1 minuto(s)

No começo do mês tivemos em nossa sede um encontro com enfermeiras e enfermeiros paulistas. Foi um café-da-manhã muito do bom em que pudemos aprimorar a relação dos Besteirologistas com a Enfermagem. Além de tremendos parceiros, eles são fonte de informação fundamental para um dia de visitas bem sucedido.

Café da manhã com a Enfermagem em São Paulo

Café da manhã com a Enfermagem em São Paulo

Aproveitando o ensejo, os Besteirologistas da Unidade Frevo, lá em Recife, contam abaixo como os enfermeiros se viram nos trinta, nos cinquenta e nos oitenta neste período friorento (brrrrr!) do ano. Prepare a caneca de chocolate quente e cubra o dedão do pé!

“O incrível número da multiplicação de leitos tem sido realizado todos os dias na Emergência do Hospital Barão de Lucena. Onde havia três, há seis.  Onde havia seis, doze. Encontramos certa vez dois bebês na mesma cama!

Nunca antes na história deste país vimos tanta mãe, tanto bebê, tanta enfermeira, tanto médico, tanta auxiliar, tanto guarda, juntos, dentro de uma mesma emergência. Tanto é que pensamos: Emergência!, assim que entramos. É a emergência na emergência. Ficamos tão estupefatos que procuramos entender se aquele congestionamento era porque o semáforo lá da avenida estava quebrado, se era um estouro da boiada, se eram só candidatas querendo casar com o Dr. Euzébio ou se a cheia do boato.

Mas não era nada. Era “só mais um dia de plantão, como outro qualquer”.

“É assim mesmo nos meses em que ocorrem mudanças de temperatura: a emergência lota”. Foi o que nos explicou, com a maior calma, a enfermeira de plantão. Obrigada, colega, por nos acalmar. Ficamos mais tranquilos, quando ela afirmou que, em dois, três, talvez quatro meses, tudo voltaria ao normal. O que são quatro meses, não é, pessoal? Somente 120 dias.

Concluímos o óbvio: a equipe da emergência sabe fazer mágica. Sabe se multiplicar em mil pra dar conta de todo o serviço, sabe dançar na chapa quente com maestria, sabe rebolar de acordo com a música, sabe tudo. Verdadeiros artistas. Já nós, da Besteirologia, temos ficado de queixo caído cada vez que chegamos lá. Enquanto as chuvas não dão trégua e o tempo não melhora aqui no Nordeste, alguém aí sabe a receita de um chazinho calmante? Brrrrrrrr!

Hospital Barão de Lucena
abril de 2011
Dr. Euzébio (Fábio Caio)
Dr. Marmelo (Marcelo Oliveira)
Dra. MonaLisa (Greyce Braga)