Tempo de leitura: 1 minuto(s)

O passado foi marcado por estranhos acontecimentos aqui no Hospital da Restauração e, especialmente, em algumas enfermarias.

É sabido que além de besteirologistas de renome intergaláctico, somos também nas horas vagas, cantores afinadíssimos, bailarinos clássicos e desclassificados, paqueradores atrapalhados e grandes mágicos ilusionistas. Quanto a esse último tópico, gostaríamos de contar o que aconteceu na enfermaria 405, diga-se de passagem, um ambiente sempre animadíssimo e acolhedor.

Pois bem, junto com meus parceiros, Dra. Tan Tan e Dr. Marciano, fizemos o arriscado número do desaparecimento aos pouquinhos. É mais ou menos assim: com o meu jaleco eu cobri as minhas pernas até os pés e depois de uma música especial tocada por meus companheiros, eu levantei o jaleco do chão e uma das minhas pernas havia sumido! Voltei com o jaleco até o chão e novamente a perna apareceu. O mais difícil foi fazer sumir as duas pernas, mas eu não desisti e fui até o fim. Encostado na mesa da enfermeira, eu sentei e quando subi o jaleco (junto com as pernas, é claro) não havia nada embaixo, para espanto de quase toda a enfermaria. Digo quase toda porque nessa hora, grita de lá a Gio, garota de quase sete anos que veio de São Paulo passar férias na casa da avó e acabou no hospital por mais de um mês, e fez uma revelação bombástica: “É tudo mentira! Ele não fez o pé sumir coisa nenhuma!”. Indignados, fomos pedir uma explicação. “Ô, Gio, você não viu que o meu pé desapareceu?”, perguntei. E ela nos presenteou com essa declaração: “Você escondeu os pés no bolso!”. Ôps, era só um truque mesmo…

Dr. Ado (Arilson Lopes)

Dr. Marciano (Márcio Carneiro)

Dra. Tan Tan (Tâmara Lima)

Mágica maior é a mágica da vida

“Recria tua vida, sempre, sempre.

Remove pedras e planta roseiras e faz doces.

Recomeça.

Faz de tua vida mesquinha um poema”.

Cora Coralina