Tempo de leitura: 1 minuto(s)

Cobramos um pênalti no PS: camas foram afastadas, a batida foi cuidadosamente ensaiada, as respirações permaneceram suspensas por alguns segundos até o apito da criança-juíz. Não importou se foi gol ou não, o garoto gostou mesmo foi de apitar!

Fizemos uma Revolução no corredor da enfermaria (por coincidência, no feriado da Revolução de 32): mães saíram com suas crianças no colo ou de mãos dadas para participar do nobre desfile cívico. O pelotão em marcha fez ida e volta na extensão toda do corredor da pediatria. Um hino foi soado e condecorações foram distribuídas aos partícipes.

Prestamos merecidas homenagens a Maicoujékson com desfiles, danças, ensaios fotográficos e coreografias. Ele integra nossos corpos sem nem precisarmos querer.

No início, apenas mãos dançavam pela porta da UTI. Em pouco tempo multiplicaram-se até 8 mãos, subindo, descendo, juntando, sumindo… Depois começaram pés, sapatos que flutuavam, jalecos que apareciam na moldura da porta, sem seus donos aparentes, e retornavam de onde vieram. Mateus e Gabi, curiosamente de suas cadeiras vitalícias, assistiam ao desfile distante e improvável.
Nossos objetos ganharam vez, o pandeiro, um cachecol que apenas era lançado à visão dos espectadores e logo sumiam de novo atrás da porta. Não entraríamos de vez, como de hábito? Entramos mil vezes, e fizemos da entrada nosso prato principal..

A seguir foi a vez do extintor se apresentar, calado obviamente. Em seguida o esqueleto de uma cadeira, calçada com sapatos de número maior.

Não contentes, Dra. Shirley, na cadência da respiração de quem dormindo estava, entrou um pouquinho e saiu, um pouco mais e saiu, meio corpo deitado sobre um banco de três lugares e saiu, entrou totalmente deitada sobre os assentos, cochilando docemente, e saiu, no mesmo ritmo da entrada, inspirando e arrastando de volta, saindo e desaparecendo. Nem viu foi nada..

Não contentes, Dr. Lord entrou feito leitão na assadeira, para ser servido sobre um carrinho da rouparia.. e saiu de novo, sem falar..

No dia seguinte, Mateus fez-nos pedir desculpas à Gabi porque ela ficou assustada…

[img:mandaqui.jpg,resized,centralizado]

Dra. Shirley e Dr. Lord