Tempo de leitura: 1 minuto(s)

“Foi numa conversa de balcão (de Enfermagem, não de bar!) que nós ouvimos sensibilizados o desabafo de um grupo de médicos, enfermeiros, auxiliares e fisioterapeutas indignados com as condições sociais das famílias dos pacientes que frequentam o Hospital do Mandaqui, em São Paulo.

A frase emblemática que dava eixo à conversa era a seguinte: Não é só a doença física que causa sofrimento. Muitas vezes, a vida cruel que essas famílias levam é a doença mais devastadora que elas sofrem, diziam eles.

No meio de um discurso desanimador e, infelizmente realista, nos resta a eterna crença de que “as coisas estão melhorando”. Aliás, essa última frase também fez parte da conversa, mesmo que timidamente. O que nos agradou nisso tudo foi o fato de estarmos presentes e participativos, como palhaços – também sensíveis – na seriedade daquela conversa. No riso e na seriedade, onde há humanidade, parece que há a possibilidade de um palhaço existir. É isso. Dá-lhe esperança brotando no meio dos cacos do mundo!”

Dr. Zequim Bonito (Nereu Afonso)
Dra. Emily (Vera Abbud)
Hospital do Mandaqui
Novembro de 2012