Tempo de leitura: 1 minuto(s)

*Falando Pelos Cotovelos

Conhecemos a Dridri na hemodiálise. O nosso primeiro encontro foi silencioso. Tentamos de várias formas encontrar caminhos para um diálogo. Parecia duvidar da nossa integridade “médica”, não se abria nem permitia que entrássemos em seu mundo. Alguns minutos depois, ficamos sabendo que ela tinha um modo especial para se comunicar, a sua própria língua, inventada por ela mesma. Nesse momento chegou a sua refeição e Dra. Nicolina, mais que depressa, pediu que trocasse todo o seu almoço por uma banana. Hum! Nem queiram saber o que ela disse. A partir daí, a comunicação foi estabelecida, já que a Dra. Nicolina, capacetada, entendia também este dialeto.

[img:Dr._Nicolina.JPG,full,centralizado]

Foi assim, podendo ser quem ela é, que a Dridri desabrochou e encantou os Besteirologistas. Após o primeiro diálogo, ficamos sabendo de 2 fofocas, e como são fofocas, têm que cair na boca do povo, portanto, aí vão elas:

1ª – Asii endermerissas çaãoo apdounadinassima peair drduuddigllud.
2ª – Droumtom silvoou de utiii enm loumcou poer dranicoulnhina.

Hoje em dia, a Dridri fala pelos cotovelos e nos recebe com um sorriso maior que as suas palavras, e com a confiança generosa que existe entre médico e paciente.

Dra. Nicolina (Nicole Pastana) e Dr. Dud Grud (Eduardo Filho)
Doutores da Alegria Recife