Tempo de leitura: 1 minuto(s)

Quando eu, Dra. Xaveco, e o Dr. Mané andamos pelos corredores do Hospital Santa Marcelina (SP), sempre encontramos muitos amigos trabalhadores e acaba sendo inevitável uma cutucada daqui, outra dali. Fica melhor ainda quando encontramos alguma criança circulando pelos corredores.

Num dia desses encontramos a B., que assim que nos viu correu em nossa direção com um saquinho na mão cheio de língua de sogra. Ela entregou pra gente, toda sorridente. A mãe da B. nos contou que não era um simples brinquedinho, e sim um instrumento para a menina fazer fisioterapia e assim melhorar sua respiração, sua oxigenação e a fala.

Resolvemos que o procedimento besteirológico aconteceria ali mesmo. As crianças, ao ouvirem o barulho do encontro, começaram a sair dos quartos. Entregamos para cada uma delas um exemplar e começamos a falar somente através da língua de sogra. Foi uma bagunça da boa! Todos ficaram falando e se comunicando em “língua-de-sogrês“.

A menina B., que sempre reclamava para fazer o exercício, nem sentiu a hora passar naquele momento. Era ela quem mais falava aquela estranha língua…

Dra. Xaveco Fritza (Val de Carvalho
Dr. Mané Pereira (Márcio Douglas)
Hospital Santa Marcelina (SP)
Maio de 2012