Tempo de leitura: 1 minuto(s)

Olá!!

Queridões e queridonas,

Mais uma vez aqui
direto do Mandaqui
o Relatório do mês de maio
Me segura se não eu caio

*Um protesto aos céus clemente: Criança não devia ficar doente!(desabafei)

*“E há que cuidar do broto, pra que a vida nos dê flor e frutos”…

O amor de alguns pais e mães é tão forte e contundente que chega a emocionar o mais bobo dos palhaços, é uma “coisa” tão verdadeira que salta aos olhos e ao coração, e o mesmo sentimos de algumas crianças com seus pais. Como dizia o velho poeta: “Amor com amor se paga”.

Raniely
Quando chegou à pediatria, essa linda menina ficava murchinha no colo do pai, abraçada, parecia que se protegia das pessoas e da dor. O primeiro contato foi meio à distância, sem muita intimidade, mas com o tempo, fomos nos aproximando, fomos chegando… Ela, cada vez mais animada, mais esperta, mais carinhosa. Depois de alguns dias, ela era a rainha da pediatria, mandava e desmandava, sempre na nossa saída do quarto ela dizia: “Palhaços, quero beijinhos!”

Crica deixava a sua marca de batom e levava um beijo estalado, Dr. Valdisney enchia a bochecha e ela dava um sonoro beijo estralado e assoprado.

Pequenas delícias delicadas da vida que transformam o dia da gente.

Raniely já foi pra casa, não sabemos o que ficou do palhaço nela, mas ela deixou nos palhaços a certeza de que vale a pena ser…ou não ser…

“Existirmos! A que será que se destina”?

Henrique: garoto muito nervoso, tava bravo porque pegaram a veia dele, entramos no quarto, na seqüência chegou a Amanda, de maca! O menino não perdeu tempo e gritou: “ELA MORREU!!!ELA MORREU!!!!” Angústia geral,as mães se olharam, silêncio… O palhaço falou: “MORREU NÃO!!!TÁ DE OLHO ABERTO!!!!!” Todos riram, inclusive Henrique e A VIDA CONTINUA…ufa!!!!cada uma!!!….

Queridões e queridonas,
Por enquanto é isso… Pensar…Pensar…Agir…

No mais, queremos ficar velhinhos cantando: Ah! O circo vem aí!

Beijos palhaçais
Dr. Valdisney e Dª Crica Canaleta