Tempo de leitura: 1 minuto(s)

Fernando Escrich está nos Doutores da Alegria desde 1994. É palhaço, liderou a expansão da ONG para outras cidades e atualmente é coordenador artístico dos Doutores da Alegria.

Hoje é ele quem fala sobre a nossa maioridade.

Fernando Escrich

“Escrever sobre a maioridade dos Doutores da Alegria em poucas palavras não é lá tarefa fácil.

Quando olhamos para trás, nos deparamos com uma infinidade de histórias, artistas que vêm e vão com diferentes sotaques, lugares, desafios, fracassos, sucessos e muito trabalho de personagens que estão juntos há muito tempo – uma família! Olhar pra trás nos dá orgulho de tantos sonhos realizados e também nos obriga a olhar para o futuro, tão desconhecido, cheio de obstáculos e imprevistos.

Mais de duas décadas depois da primeira visita feita por uma dupla de palhaços aos hospitais do Brasil, a missão de levar alegria aos hospitais pediátricos deixou de ser apenas da instituição e passou a pertencer a vários setores da sociedade.

Depois de muita reflexão sobre a função social do artista, hoje não estamos somente nos corredores das pediatrias. Fizemos pesquisas, organizamos o conhecimento e construímos uma metodologia. Levamos a nossa arte também aos teatros, empresas, escolas e abrimos uma boa conversa com grupos de artistas e diversos públicos que estão fora dos hospitais. Hoje somos professores de uma linguagem que construímos com a nossa alma e muito estudo: a Besteirologia!

Nos tornamos melhores artistas, melhores palhaços, melhores pessoas. Saímos da adolescência com um olhar maduro sobre a nossa profissão, com a bagagem cheia de bons encontros e experiências e, principalmente, agindo de acordo com as nossas convicções.

Dr. Escrich

Que tenhamos um futuro lindo, sem nunca perder a essência do nosso trabalho, que começou há 21 anos no encontro da criança com o palhaço num quarto de hospital. E que esse continue sendo o ponto de partida para todas nossas ações!”