Tempo de leitura: 1 minuto(s)

No Pronto Socorro, a chefe da enfermagem passou a importante informação que o pequeninho e divertido Luan dizia ter MUIIIIITO medo de PALHAÇO. Um medo assumido, consciente, daqueles que você não quer largar.

Essa foi a dica para a dupla trabalhar uma chegada triunfal e aos poucos ir ocupando o espaço. Elas falaram para criança do berço ao lado: “Não podemos ir até ai porque o Luan não deixa”. Luan sentiu que as palhaças respeitavam seu espaço, e que elas não eram tão perigosas assim.

Elas perguntam; “Luan, podemos tocar uma música aqui de longe?” Luan diz que sim!. Eureka!! Eis que surge uma pequena girafa, mais conhecida como Jurema, que ajuda a ganhar o espaço e conseguem chegar no berço do Luan, que já estava completamente sem medo e aproveitando uma dose dupla de palhaçada.

No meio da música, a frase que coroou o encontro: “Paiasho, eu não to com medo. To achando muito legal!” E antes que a Dra. Valentina se derretesse, pôs sua mãozinha nos seus crespos cabelos e elogiou, sem dó: “Paiashi, sheu cabelo é muito bonito!!”

Reencontramos com ele uma semana depois na hemodiálise, ele nem lembrava que talvez um dia, já teve medo de palhaço. O medo dele naquele momento era de perder os palhaços. Ele dizia em vários momentos enquanto ainda estávamos lá dentro e sem planos de sair: “PODE ENTRAR… PODE ENTRARRR”!

Dr. Pinheiro