Tempo de leitura: 1 minuto(s)

O Dr. Dud Grud mandou duas boas histórias lá do Instituto Materno Infantil Prof. Figueira (IMIP), no Recife. Vejam só!

A hora da verdade

Dia desses no prédio da hemodiálise do IMIP (Recife), encontramos a L. toda prosa esperando os besteirologistas. Quando ela viu que era o Dr. Ado que estava no plantão, suspirou!

Eles mantêm um RQ (rolando um clima) que já dura um tempão… E o Dr. Ado não quis saber de perder tempo no encontro e foi logo mandando uma poesia, pra delírio da L., seguida de uma serenata. A garota se derreteu toda e quis casar naquele momento mesmo!

Após conclusão de todos os preparativos fomos à cerimônia, e, na hora mais importante – o momento do SIM – a mãe da L. teve um estalo na cabeça:

“Você está querendo enganar a minha filha, eu sei que você está grávido de outra e eu não vou criar filho dos outros, não! Não vai ter casamento algum!” 

O Dr. Ado ficou sem reação, tendo de ser amparado por mim, Dr. Dud Grud, pois naquele espaço só eu poderia carregar aquela carga pesada…

Solta o som!

E falado em carga pesada, o P., outro paciente da hemodiálise, vem estremecendo as estruturas na sala das máquinas. Normalmente o encontramos durante a troca de óleo – ou transfusão -, mas quem achar que isso foi empecilho para a interação está redondamente enganado! O nosso encontro foi embalado pela trilha sonora:

♫ Trabalho num hospital tropical
Abençoado por Deus e bonito por natureza
Mas que beleza!

Em fevereiro tem Miolinho (tem miolinho!)
Tenho um catéter e um seringão
Sou Sport e tem uma enfermeira chamada Teresa  ♫

Dr. Dud Grud (Eduardo Filho)
IMIP – Recife
Setembro de 2012