Tempo de leitura: 2 minuto(s)

Olá, ilustríssimo Dr. Pinheiro, minhas colegas de trabalho, amigos leitores do Hospital Santa Marcelina e pessoal da rua Alves Guimarães nº 73¹.

O Dr. Mané chegou. Chegou… Chegou! A viagem foi longa e demorada.

Saí em fevereiro do Hospital do Campo Limpo sem destino definido e fui para a rua Alves Guimarães nº 73. No caminho encontrei-me com Dr. Pinheiro, que estava na mesma situação. Caminhando e prosiando², avistei um punk loiro atravessando a rua. Então eu disse para o Dr. Pinheiro: “Aquele cara é o Supla?”. E o Dr. Pinheiro entendeu: “Vamos fazer uma dupla?”. Fiquei constrangido com o convite, não podia corrigi-lo, pois, por um lado pareceria que eu o estava chamando-o de surdo ou lesado, por outro lado, daria a entender que eu articulo mal as palavras, então respondi prontamente: “Sim! Sim! Sim!”. E aceitei. Outras duplas têm outros processos de escolhas: por afinidade artística e intelectual, por pressão e ameaça e por propina e chantagem.

Chegando lá na rua Alves Guimarães nº 73, encontramos outros Doutores. Para quem não sabe, o dia de escolha do hospital em que a dupla vai trabalhar durante o ano é chamado de “Dia de escolha do hospital em que a dupla vai trabalhar durante o ano”. É realizado anualmente e vou relatar agora como ocorreu este ano.

Começamos pela manhã com uma conversa sobre o destino dos hospitais, o destino dos Doutores, a vida, a arte e outros assuntos de maior relevância que não me lembro agora, mas eram. Como ainda era verão, a conversa ficou acalorada e a escolha se transformou numa disputa. Todas as duplas se uniram entre si mesmas, inclusive Batman e Robin, que foram responsáveis pelo bat – boca.

Negociações, palhaços ao telefone, desespero, dor e ranger de dentes, advogados, veterinários (se alguém passar mal), enfim… Já eram 8 da noite e o impasse continuava. Depois de uma disputa acirrada pelo Hospital Santa Marcelina, ganhamos de 3 sets a 0, com parciais de 25-21, 26-24 e 25-22, de outra dupla que prefiro não mencionar. Mesmo porque não lembro, desmaiei com uma última bolada.

Bem tudo isso para relatar como foi minha chegada ao Santa³. Mas agora passo a palavra ao meu parceiro Dr. Pinheiro.

Dr. Pinheiro: Prefiro não me declarar!

Dr. Mané: Então eu me declaro: EU TE AMO!

Grossário:

1 – rua Alves Guimarães nº 73 – a) Vide Guia de São Paulo pág. 149; b) local de grande concentração de palhaços, quase um circo; c) mais conhecida como “A sede”.

2 – Prosiando – Jeito caipira de conversar.

3 – o Santa – Forma simplificada de se referir ao Hospital Santa Marcelina, da rua Santa Marcelina nº 177, bairro de Itaquera, São Paulo Brasil, América do Sul, Planeta Terra, Via Láctea.

Dr. Mané Pereira (Márcio Douglas)
Doutores da Alegria São Paulo