Tempo de leitura: 1 minuto(s)

Eu, Dr. Mané Pereira, CRB 63.784, CPF inválido, sendo arauto dos acontecimentos por mim percebidos neste nosocômio, apresento uma conclusão do trabalho realizado no mês anterior a este que estamos e posterior ao mês de março do mesmo ano.

Esta pesquisa de importância científica para todas as pessoas e de importância pessoal para todos os cientistas, traz à luz a afirmação:

“Todo adulto já foi bebê.”

Pasmem, esta é uma verdade comprovada por mim e pela ilustríssima e doutorenta Dra. Xaveco Fritza em nossos dias de labuta.

A questão surgiu quando encontramos um garoto de seus 14 anos deitado na cama da Pediatria. Pedimos licença para entrar e sua mãe disse:

Olha o meu bebê!

Admiramo-nos de ver um bebê tão grande, mas como era um bebê, tratamos do mesmo como tal. A Dra. Xaveco se aproximou do bebê com seu chocalho, olhou em seus olhos e disse:

Ti toisa mais linda!, e o bebê ria. Depois cantamos o clássico infantil “O sapo não lava o pé” e o bebê não acreditava no que estava ouvindo. Depois de rir, ele nos disse… Que não era mais um bebê!

Mas você já foi bebê um dia?

Claro!, ele disse.

Você se lembra?

Ele, com tom de obviedade: Não!

A partir daí, decidimos levar a fundo a pesquisa intitulada “Todo adulto já foi bebê”. Fomos para outros lugares e realizamos o exame com pais e mães e o resultado foi impressionante: dos 20 pacientes adultos com idade entre 25 e 58 anos submetidos ao exame, 100% não lembrava da sua época de bebê, o que faziam, o gosto da chupeta, suas primeiras palavras… Além disso:

97% tinha certeza que já tinha sido bebê;

3% sabia que já tinha sido bebê porque alguém falou;

e 100% ria com o exame, provando assim que o tratamento carinhoso dado para um bebê pode ser dado a um adulto, pois este já foi bebê e sabe que precisa de muito pouco pra ser feliz.

Dr. Mané Pereira

Dr. Mané Pereira
Dra. Xaveco Fritza
Hospital Santa Marcelina – SP
Abril de 2012