[img:Dra._Greta_e_Dr._Pinheiro.JPG,full,centralizado]

Após tirarem suas férias na Palhaçolândia, Dra. Greta e Dr. Pinheiro voltaram à labuta – não sem antes passarem por mais um encontro com um Mestre (não, não se trata de retiro espiritual elevado, mas de uma verdadeiro mergulho nas profundezas do corpo, nas vísceras… nas grutas de onde viemos). Elegemos como “mestre” uma especialista na arte que estuda um ser ancestral, do qual descendem o palhaço e o médico: o bufão.

Descansados, estudados e bem dispostos, chegaram animados para recomeçar o trabalho. Mas, devido ao tráfego intenso de palhaços no iníco do ano, não voltaram necessariamente juntos. Expliquemos: os casamentos entre as duplas de palhaços que residem no hospital tem data pra acabar. Não, não é preventivo, é produtivo! Novos encontros geram novas descobertas, proliferam nossos conhecimentos nesse ramo da bobologia, da escatologia, da patifaria, da infamaria, enfim, todos esses “rias” e “gias” que compõe a nossa infinita Besteirologia.

Acontece que, antes de assinarmos o divórcio para contrairmos novas núpcias, passamos uns dias experimentais, ou seja, uns dias de salada russa, despedida de solteiro… chamem como quiserem. Fato é que…

[Leiam esse trecho o mais rápido possível]

Dra. Greta aparece com a Dra. Zuzu, do Instituto da Criança, cheia de vontade de matar as saudades dos velhos companheiros com os quais trabalhou em outros tempos. Em seguida, passa para Dr. Pinheiro, que teve a honra de perambular com a famosa Dra. Lola Brígida, emprestada pelo Trio do Hospital do Mandaqui, e com o Dr. D. Pendy, alugado do Hospital Universitário da USP. Volta para Dra. Greta, que escapa pelo Hospital do Campo Limpo e sai pela culatra do Hospital Universitário, e reaparece com uma dupla explosiva: Dra. Xaveco Fritza e Dr. Sandovaaaaal. Ufa! Ninguém ficou impune naquele dia, os três bagunçaram a rotina do Santa, Hospital Santa Marcelina.

No final do mês, a dupla resolveu acertar os papéis e oficializar a separação, com seus novos destinos já traçados (por eles mesmos), com lágrimas nos lábios e sorrisos nos olhos.

Dra. Greta sai do Hospital Santa Marcelina deixando para trás:
Os amores: Tito, César, Ulisses e Claudinho da UTI
As amigas: Silvia, a inominável, Milene, Monalisa, Ana Vitória, Cássia, Mirian, Alessandra, Jac, e mais tantas outras pessoas queridas da enfermagem e do administrativo.
Os parentes: Irmã Gema e Irmã Zélia.
A turma da bagunça: pessoal da limpeza
E seu grande parceiro: Dr. Pinheiro, que fica no Santa! Mas não fica só, fica mal… ou melhor, bem acompanhado! De agora em diante, o elegante Dr. Pinheiro terá a sorte de trabalhar com outro grande Besteirologista, o Dr. Mané Pereira.

Enfim, deixando de lado o sentimentalismo, sejamos científicos. Como cientistas, devemos fazer experimentos. Hora de experimentar novos encontros, novos parceiros, novas possibilidades. E assim, seguimos na nossa labuta. Sempre fica a saudade do que sai. Sempre há o apego ao que chega. Mas, atenção! Não pensem que se livraram, porque Dra. Greta vai, mas leva na memória e no coração a lembrança de tão bons momentos e de tão boas histórias vividas nesse um ano e meio de aventuras.

PS: Palavra da salvação (da Dra. Greta):

“Tchau pessoal, agora vocês me encontram no Hospital do Grajaú, estarei trabalhando com o recém-formado Dr. Sandoval, o maior gatão (quem sabe agora eu desencalho!). Que assim seja!”

Dra. Greta (Sueli Andrade) e Dr. Pinheiro (Du Circo)
Doutores da Alegria São Paulo