[img:Dra._Juca_Pinduca.jpg,full,centralizado]

Recepção do ITACI (Instituto para o Tratamento do Câncer Infantil):

Dra. Lola e Dra. Juca Pinduca entram na recepção do hospital e um garoto começa a brincar com uma luzinha vermelha, que saí da sua caneta e vai até as palhaças. Dra. Juca com seu dedo iluminado começa a pegar a luzinha, que aparece hora na sua barriga, hora na barriga de Dra. Lola, e hora em qualquer lugar visível e começa a mudar de lugar.

As crianças, inclusive o garoto dono da caneta-lazer, ficam assustados sem entender como é possível aquela palhaça pegar a luz e mudá-la de lugar no espaço. Geovana, uma garota que já faz tratamento há algum tempo no ITACI, chega muito perto da Dra. Juca e da Dra. Lola, tentando com muita força entender o que estava acontecendo ali. Junto dela um outro garoto. Dra. Lola então, ao tentar pegar a luz como a Dra. Juca fez, pega um nariz vermelho do lugar que estava sendo iluminado de vermelho. Geovana leva outro susto e pega com força o nariz. O garoto pede o nariz pra ele e ela pensa um pouco e rasga o nariz no meio. Cada um fica com uma metade e eles vão acompanhando as palhaças até a entrada da Quimioterapia. Todos os meninos voltam pra recepção, mas a Geovana fica e diz pra Dra. Juca que havia dito pra ela que ela não poderia entrar ali:

Geovana: Você vai morrer.
Dra. Juca: Muito provavelmente.
Dra. Lola: Quase 100% de possibilidades.
Geovana: Mas você quer morrer?
Dra. Juca: Eu quero. Já que eu vou morrer mesmo, eu quero morrer. Mas não agora.
Geovana: Não pode. Ou você quer morrer ou você quer viver.
Dra. Juca: Eu quero morrer, mas quero brincar mais um pouco.
Geovana: Eu também.
Dra. Juca: Então você vai brincar lá na frente que a sua mãe deve estar atrás de você, e eu vou brincar aqui na Quimio e depois a gente morre.
Geovana: Tá…

Foi saindo e voltou pra entregar a metade do nariz vermelho.

Geovana: Isso é seu.
Dra. Juca: Não. É seu.
Geovana: Não é meu. É seu.
Dra. Juca: Então vamos dividir.

Dra. Juca pega o nariz e, na divisão, tira um outro inteiro e dá pra Geovana, que o pega e só se dá conta de que o nariz estava inteiro de novo depois de alguns segundos. Olha seriamente pras palhaças, dá uma pausa e vai embora.

Caros leitores, acho que essa cena, vivida no tempo de uma leitura e perpetuada na memória e nessas palavrinhas no papel, é a melhor lembrança que deixaremos pra vocês que, com paciência nos acompanham, habitantes do ITACI, agora que estamos migrando para o Hospital Universitário da USP (HU).

Início do ano, êxodo de palhaços, vão-se os sapatos velhos, mas ficam as histórias e as saudades. Que nossas sucessoras, Dra. Emily e Dra. Zuzu, tenham êxito e sucesso. Boa sorte pra vocês, que terão de aturá-las, para elas, que terão de dar conta do recado, e para nós, que vamos lá pros anais da academia, pro Hospital Universitário. Que responsa!

Dra Juca Pinduca (Juliana Gontijo)
Doutores da Alegria São Paulo