Mudança nas direções é muito bom de vez em quando. Acorda os sentidos adormecidos e acostumados à rotina do dia a dia. Logo que implantamos essa efeméride (hum… que palavra bonita!) as crianças aderiram na hora. Até nos lembravam quando esquecíamos de andar de ré. E gritavam: MULTA !!! Quando algum desavisado esquecia e passava andando pra frente pelos corredores. Tudo muda quando mudamos algum hábito já estabelecido. Por exemplo, cumprimentar alguém de ré é simplesmente fantástico! Você não vê a pessoa de frente e nem ela te vê de frente. Eureca! Isso é ciência, gente! Até evita se você não vai com a cara de alguém: quem não vê cara não vê coração. Ih, acho que foi daí que veio esse provérbio.

Outra descoberta igualmente importante é o modo como a gente se locomove. Fisicamente quando se anda pra trás nos tornamos mais jovens, entendeu? Dando marcha a ré a sua idade vai diminuindo. Você nem precisa se preocupar com cirurgia plástica, botox, dieta, nada. E quando você precisar aumentar a sua idade… Corra Lola, Corra! Vai controlando pra frente e pra trás, pra frente pra trás…
Nossa, quantas invenções maravilhosas na vida de um besteirologista. Me arrepiei todo.

Foi no Dia Mundial da Marcha a Ré que conhecemos o Jack. Quando chegamos, vimos logo que ele já havia iniciado a comemoração da data: estava deitado com a bund.., ops, o pandeiro virado pro nosso lado. Imediatamente, viramos nossas b-u-n-d-a-s e o saudamos com o Bom-dia oficial da Marcha Ré: Bun-Dinha, Jack! Foi um lindo encontro de pandeiros. E juntando o pandeiro do Jack com o pandeiro da Monalisa deu samba, por isso já o contratamos para entrar na Banda Besta.

MSC – Movimento dos Sem Cueca
Nado é um garoto que vivia atrás da cueca do Dr.Marciano (Psiu, não espalhem a minha intimidade, é segredo, por favor. Não é uma cueca, é meu lenço). Bom, foi aí que descobrimos o óbvio: se ele quer a cueca do Dr. Marciano é porque está sem nenhuma. Gente, não poderíamos deixar isso assim. Imediatamente criamos o MSC- Movimento dos Sem Cueca. Percorremos vários quartos em busca de uma cueca para o descuecado. Muitos se comoveram com a história do Nado-sem-cueca. O Movimento foi ganhando a simpatia das ruas do hospital. O primeiro a aderir à campanha foi o medico de plantão, depois uma enfermeira, uma mãe ali, outra criança acolá, a massa em uma voz gritava palavras de apoio, quando de repente – tchan-tchan-tchan-tchan – a mãe do Lelo nos socorreu com uma… calçola XXXXXGG, que além de servir de… macacão para o Nado, serviu também de tenda de acampamento, de rede de dormir, bandeira de torcida, guarda-chuva, lençol, forro de mesa, cortina, abano, tela para projetar filme, esconderijo, e até aonde a sua imaginação boba puder ir.

A troca
Não, o Dr. Marciano não mudou o penteado. Aquela baixinha invocada era a Dra. Svenza, que andou substituindo o Dr. Marciano este mês. Muitos questionaram o sumiço do aclamado Besteirologista. Aproveito a oportunidade e explico: levei Marciano para o conserto, porque estava gaguejando. Mas não se preocupem, a oficina disse que ele ainda está no prazo da garantia.

Como não sou boba nem nada, já tenho um Plano B arquitetado. Caso o problema persista, vou vendê-lo em um grande leilão e torrar todo o dinheiro em chapinha regressiva. Lance inicial: R$ 1,99. Quem dá mais? Quem dá mais?

Dr. Marciano (Márcio Carneiro)
Dra. MonaLisa (Greyce Braga)