Já ouviu falar em “quanto pior, melhor”?

© João Caldas

Pois é, esta é a filosofia de vida da conhecida Família Addams. A versão brasileira da história em quadrinhos que teve origem lá nos anos 30 estreou no início do mês no Teatro Abril, em São Paulo.

Os desenhos foram transformados em série de TV nos anos 60, depois em desenho animado, e inspiraram dois filmes dirigidos por Barry Sonnenfeld até se transformarem em um musical.

Os Addams têm prazer na maioria das coisas que pessoas “normais” teriam medo. Charles Addams, cartunista criador d"A Família, brincou com a “tradicional família americana” para falar de temas sociais delicados como a diferença – afinal, o que é normal para uma família tradicional,  certamente não é para os Addams e vice-versa.

Desta vez,  Wandinha cresceu, tornou-se uma adolescente e agora está
namorando um rapaz “muito certinho”, cujos pais são o ponto culminante da caretice. Wellington Nogueira, fundador dos Doutores da Alegria, interpreta “Mal”, o pai careta. O ápice da história se dá num almoço na casa dos Addams em que as duas famílias vão se conhecer.

O musical estreou em 2 de março e fica em cartaz no Teatro Abril por tempo indeterminado. As apresentações são às quintas e sextas (21h), aos  sábados (17h e 21h) e aos domingos (16h e 20h). Os ingressos custam entre R$ 70 a R$ 250. Clique aqui para mais informações.