Meu parceiro Mané quer abrir um consultório. A ideia é dele; e só ele, do alto de sua genialidade, tem o poder e o dever de contar a todos nós de que se trata essa brilhante invenção. Posso adiantar aqui que não se trata de um consultório médico como tantos por aí. Trata-se de um consultório de psicologia, psiquiatria, ou psiuqualquercoisologia especializado em tratar palhaços. “Terapia para Palhaços”. Para maiores informações falem com Dr. Mané Pereira. Ah, fiquem sossegados, não será ele o terapeuta. Muito menos eu. Estou mais para paciente número um deste digníssimo empreendimento. Já peguei minha senha.

Digo isso porque, como nem todos sabem, meu ano começou mais tarde no hospital Santa Marcelina. Cheguei um mês atrasada e não foi por causa do trânsito na Radial Leste. Foi porque estive em Recife num intercâmbio besteirológico entre os Doutores da Alegria e o Le Rire Médecin, um grupo francês de palhaços que trabalham em hospitais. É, tão pensando o quê? Besteirologista também estuda, faz intercâmbio, palestra, essas coisas de doutor… Em Recife conheci dez besteirologistas importados da França! Très chic, Soutien, Abajour, Crêpe Suzette! Encontrei também nossos amados parceiros pernambucanos… Parraxaxá, Buxada de Bode, Bloco do Miolo Mole, Bolo de rolo! E nos embalamos todos num maracatu valsado durante 23 dias. Foi bom, mas agora… Terapia na Lola!

Calma, calma… Já vou explicar. Chego eu, um mês depois do combinado, no hospital onde meu parceiro esteve labutando durante todo o ano de 2008 e no início de 2009. Todos já o conhecem, já o amam, idolatram-no! Com aquele charme que Deus lhe deu, um carisma de levantar multidões, por onde passamos todos gritam em letras garrafais: MANÉÉÉ!!!! Enfermeiras desmaiam, mães se derretem, crianças brilham, os homens não resistem às suas piadas e trocadilhos e gritam: É O MAIOR! É O MAIOR! E eu lá, ao lado do SUPER STAR, tendo que impor minha personalidade, jogar meu charme, ajeitar meu cabelo, dançar, sambar, cantar, sapatear, assobiar e chupar cana, tudo ao mesmo tempo para poder ao menos ser notada! OI GENTE!!! EU TÔ AQUI! EU SÔ LEGAL! Confesso que achei que não teria a menor chance.

Mas eis que meu dia chegou! Pasmem, senhores! Fui pra Rede Globo! Apareci na Ana Maria Braga! Fiquei famosa também! Muitos me viram na telinha e passaram a falar comigo depois disso, embora ainda não soubessem meu nome. L-O-L-A!!! Guardem esse nome!!! L-O LO L-A LA! LOLA! Subi na escala Richter, escalei o meridiano de Greenwich, peguei um Ita no Norte e finalmente cheguei! Fui promovida a ter o direito de andar com dignidade ao lado dele: Dr. Mané Pereira! UFA! Haja terapia!

Mas não se iludam. Não basta você saber que precisa de terapia para dizer ao mundo que está curado… Muita calma nessa hora. Consegui estar a altura de Dr. Mané aos olhos dos outros, que isso fique claro. Mas e aos meus olhos? E aos olhos do Mané? Como viver plenamente, sem muitas expectativas nem frustrações este encontro que estava escrito nas estrelas? (Sobre astrologia falaremos no próximo relatório.)

Ah! Aí a história começa a se aprofundar. Vira papo cabeça. Quantas sessões semanais esta Lola vai precisar para vencer esta etapa?

Bom, entre encontros e desencontros seguimos tentando. O mês foi agitado. Mané engoliu uma vitrola e saiu pelos corredores soltando música. A sorte é que ainda conseguimos acionar suas orelhas para desligar e ligar a música quando bem entendermos. Ah, é possível também mudar de música, apertando o nariz apenas uma vez, na horizontal. Em uma bela terça-feira a vitrola de Mané fez a mulherada chorar com uma seleção romântica do Rei Roberto Carlos. Eu fui a primeira a me desmanchar em lágrimas… Pôxa! Tô tão sensível… Mais uma sessão. O terapeuta vai ficar rico.

Na Oncologia, Matheus gosta mesmo é de ver a gente se estapeando. Não só o Matheus, quase todos por lá se divertem ao nos verem batendo a cara na parede, levando bofetada sem querer querendo, jogando água um na cara do outro. E a Amanda ficou muito feliz em rasgar com toda a energia a foto da ex-namorada do Mané. Aquela gorila peluda de batom vermelho nunca mais dá as caras por ali.

Na UTI nos despedimos do Titi que foi para Jundiapeba. Nosso querido amigo teve que mudar de casa. Logo agora que o havíamos conquistado! E na cama dele, logo depois aparece o Caio. Nosso primeiro encontro foi lindo. Ele estava bem fraquinho e desanimado, segundo as enfermeiras. Fomos escutar seu coração e o Mané não sabia onde era. Pedimos que Caio nos mostrasse onde ficava, ele apontou com a mão e qual não foi nossa surpresa! O coração do Caio sambava! Samba desses de verdade mesmo, com bateria, mestre salas, porta bandeira… Tinha até ala das baianas! Os olhos de Caio brilharam! Os nossos também! Que encontro! A enfermeira, vendo isso saiu dizendo: “Nossa, eu vou embora pra não chorar!” Acho que ela não gosta de samba.

Passamos o mês tentando marcar um café da manhã com a equipe do hospital. Finalmente conseguimos marcar para o dia 19/05. Estou na maior expectativa, este encontro à paisana com a equipe que convive diariamente com a gente é muito importante. Sem falar, é claro, nos quitutes e delícias matinais.

Bom, caros amigos, despeço-me por aqui. Que todos estejam bem. Qualquer coisa, precisando de uma terapia, passem pelo Santa Marcelina e peguem suas senhas. O consultório será inaugurado em breve.

Um abraço sincero,
Dra. Lola Brígida

[img:Dr_Lola.jpg,resized,alinhar_esq]