Para dar um pouco de frescor a estas páginas que estão empoeiradas de histórias antigas (tudo pelos nossos 20 anos!), que tal dar uma olhada no que anda acontecendo nos hospitais de Béluorizontchi neste começo de ano?

Tapete levantado, pó tirado, lá vamos nós!

“Um elefante é pouco, dois é bom e três é bom demais!

Mas nada de elefante, este é o ano do coelho, ano da proliferação! Assim eu, Dra. Xuleta, acompanhada do ilustríssimo Dr. Custódio, resolvi proliferar a besteirologia na Santa Casa de BH. Trouxemos mais um paspalho…ops… médico, que está em formação, dando seus primeiros passos na medicina avançada. Com vocês: Dr. Mingal!

Adivinha: mingal de quê?

(   ) de couve  (   )  de maisena  (   )  de fubá   (   ) da Silva

Dr. Mingal chegou no primeiro dia de trabalho  engomadinho, passadinho e cheirozinho. Terminou o dia amarrotadinho, acabadinho e suadinho!

Mostramos para ele que ser um besteirologista não é nada fácil, por isso damos as nossas escapulidas para dançar uma lambada pelos corredores, assaltar as cozinhas das enfermarias e os carrinhos com as comidas, entrar de penetra nas festinhas de aniversário, subir do terceiro andar até ao nono cantando em um fôlego só, brincar de pique-esconde nos quartos e… iiiiiixi, fiquei sem fôlego!

E para provar que somos seríssimos, cumprindo com nossos deveres besteirológicos, realizamos exames e cirurgias. Muitos casos apareceram, como extração de um miolo mole encravado na cabeça do dedão do pé, uma obstrução no buraco da cabeça do umbigo da barriga, uma sinalização no congestionamento na cabeça do nariz e um ajuste lateral programado na cabeça da cabeça para troca de lados.

Imagino que estão perguntando: quantas cabeças?

Pois é, decidimos ir por partes – uma por uma – para garantir a formação do Dr. Mingal e escolhemos a cabeça como primeira dentro dos estudos da “Anatonomeia Umana”, que, de acordo com a besteirologia, é o estudo que ajuda a descobrir o nome mais anatômico para cada parte do corpo.”

Dra. Xuleta, Dr. Mingal e Dr. Custódio
Santa Casa de Belo Horizonte
Janeiro de 2011