Heraldo Firmino
coordenador do Programa de Formação de Palhaço para Jovens

Uma grande inquietação minha é a formação de palhaços.

Tenho formação de ator e, como aprendiz de palhaço durante muito tempo, eu perambulei por cursos e oficinas e a minha história foi se moldando assim. E esta é a historia de uma legião de palhaços brasileiros nascidos fora do circo, com muitos buracos na aprendizagem, diversas referências boas e outras nem tanto. 

Minha chegada nos Doutores da Alegria foi em 1998. Ajudou a colocar o barco nos trilhos. Aprendi muito aqui, com os parceiros de hospital e em sala de aula, e foi em 2004 que nasceu o embrião do que é hoje o Programa de Formação de Palhaço para Jovens. E eu tenho o prazer de ser uma das pessoas que mais puseram lenha nesta fogueira… E teve muita gente que ajudou a deixar o trabalho bem feito: Raul Figueiredo, Daiane Carina, Soraya Saide, Thaís Ferrara, Sabryna Mato Grosso, Vilma Campos, muitos educadores e a equipe toda dos Doutores! 

E lá se foram oito anos: estamos na quinta turma e hoje somos uma boa referência de formação de palhaços. Muitos artistas dividiram suas experiências artísticas de vida e de trabalho dentro da organização e hoje temos uma identidade que é levada adiante por jovens que cruzam nossas fileiras e viram parceiros para uma vida de arte, ética,criação de humanidade…. 

Estes jovens vêm de todos os cantos, do Brasil afora, de grandes escolas de teatro e até dos circos, quem diria! A arte dá voltas e sempre encontra o ponto de partida e se reinventa. E é neste momento que tudo que fazemos dentro desta formação cria significado e o conhecimento vai para mãos de outros. E aí o nosso legado continua, a vida continua e o resto… É tudo palhaçada!

Voltar