Notícias
 

Novos horizontes para os palhaços em BH

Em janeiro deste ano Belo Horizonte ganha uma nova organização de palhaços que trabalham em hospitais. Os ex-integrantes do elenco dos Doutores da Alegria darão continuidade ao trabalho iniciado pela ONG na cidade mineira em 2007 por meio de uma organização independente.   

Ao completar 21 anos de existência, Doutores da Alegria assumiu a maioridade com foco para um futuro com novas diretrizes estratégicas, de forma a ampliar o alcance de seu público beneficiado, formar e capacitar, articular políticas públicas de cultura e saúde e otimizar sua atuação de maneira sustentável, integrada e participativa. Um dos focos de atenção da ONG será junto aos grupos de atuação semelhantes, que surgiram a partir do pioneirismo do Doutores da Alegria. O programa Palhaços em Rede, desenvolvido para orientar estes grupos, passa por revisão estratégica no sentido de colaborar para melhorar a qualidade de atuação dentro dos hospitais em âmbito nacional. 

Como parte deste processo, surge o Instituto HaHaHa, organização sem fins lucrativos que contribuirá para que os ex-integrantes do elenco da unidade BH busquem autonomia artística e institucional para continuar com o programa de visitas em hospitais e criem novos projetos por meio dessa nova organização para aumentar ainda mais a participação na cidade. 

Segundo o fundador dos Doutores da Alegria, Wellington Nogueira, “sabemos da responsabilidade do nosso papel de formadores. Cresceremos cada vez mais em profundidade, disseminando conhecimento e promovendo o surgimento de novos grupos, que terão capacidade de oferecer atendimento cada vez mais personalizado aos públicos atendidos.” 

O formato do trabalho, a princípio, continuará o mesmo: a visita da dupla de palhaços duas vezes por semana na pediatria dos três hospitais – Santa Casa, Hospital das Clínicas e Hospital da Baleia – e os treinamentos artísticos que são a garantia da qualidade do trabalho. As criações artísticas, os cursos e outros eventos também continuam como forma de disseminar a experiência da alegria para além do hospital. 

A nova organização terá o grande desafio de captar recursos da comunidade mineira por meio de doações e parcerias. A ideia é seguir a linha de captação dos Doutores da Alegria, que compõe sua receita via doações de pessoas físicas e jurídicas diretas e por meio das leis de incentivo à cultura estadual (ICMS) e a lei Rouanet (IRRF). 

Ciente de sua responsabilidade perante a sociedade brasileira, Doutores da Alegria esteve à frente deste processo para colaborar com a transição e fortalecer os artistas em seus novos desafios profissionais. Durante seis meses redirecionou seus recursos, que colaboraram para a criação da nova organização. 

Com este novo formato, esperamos que a cultura da alegria possa continuar a trazer bons frutos aos nossos colegas mineiros, e desejamos muito sucesso nessa nova empreitada!

<Voltar