Queridões e Queridonas,
Relatório de Novembro do Mandaqui: Atrasado, em ritmo de quase férias, festas, Natal, Ano Novo…
Então, canta meu povo! Que não precisa pagar pra cantar!

“Eu vi o menino correndo
Eu vi o tempo, brincando ao redor do caminho
Daquele menino”

Direto do Planeta Diário da UTI do Mandaqui: entramos e encontramos Clark (Matheus) Kent sentado e vendo notícias na TV; Clark recebe logo a missão de fazer uma reportagem no maior prédio do mundo (8.000 andares). Eis que, de repente, ouvimos gritos de Socorro: é Lois (Crica) Laine que está lá em cima do prédio, ameaçada de ser jogada por Lex (Valdisney) Luthor.

Clark sai “correndo” e embaixo dos lençóis se transforma em Super (Matheus) Man. Lex Luthor joga Lois de cima do prédio, ela é salva pelo Superman que a coloca no chão e começa uma luta brutal com Lex Luthor que lhe dá vários socos, até o momento em que o Superman usa o seu escudo protetor transparente e acaba com Lex Luthor, que vai embora avisando sempre que: “Isso não fica assim!! Eu volto, Superman!!” De volta ao jornal, Clark se destransforma e faz que está dormindo, e todos vêm contar as histórias do Superman que ele não viu.

Ele sorri, um sorriso de super herói.

“Quem sabe, o super homem venha nos restituir a glória
Mudando como um Deus o curso da história”

E a Mulher-menina (Gabi) Maravilha assiste a tudo no leito ao lado, sempre dando o seu apoio enorme com suas “sobrancelhas falantes”.

Dois Anjinhos –
Depois de cantarmos para Márcia, a mãe dela disse que fez uma música para nós, os palhaços, e cantou com uma voz de mãe cansada. Lembro-me especialmente de um trecho:
…”Mesmo que eu não possa ouvir
Eu posso sentir”…

Ela disse que o nome da música era “Dois anjinhos”. Não nos encontramos mais com ela, mas a música ainda toca no coração do palhaço.

Salada de frutas –
Dia desses, passando no corredor, encontramos uma grávida com uma barriga enorme. Palhaço não perde tempo.
Palhaço: – Foi a jaca que você comeu??
Grávida: – Não! Foi a banana que me comeu!
Saímos pelo corredor cantando o melô da banana:
“Banana não tem caroço, meu bem”…

Por todas as coisas boas da vida vale a pena viver
Então, viva
E nós queremos ficar velhinhos cantando:
Ah! O circo vem aí!!!