Se alguém perguntar por mim!?

Pois é, estamos aqui neste mês relatando as coisas vividas. Algumas pessoas tem diários, outras escrevem bilhetes, uns tantos anotam na agenda, outras guardam na lembrança… Nosso relatório é como ter um caderno de “borrão” registramos nele nosso dia de trabalho, nossas bobagens mais sutis e nossas gargalhadas mais honestas, assim também como nossas mancadas como preza todo Besteirologista. E depois reescrevemos, em formato mais compacto ou como diria Seu João da merceria “pra viagem!”, nossos encontros aqui pra vocês.

E pra gente “não esquecer” de lembrar desses tais encontros é melhor dizer que vamos sentir falta das residentes Dayane e Hilka, foram tantas bobagens que algumas ficaram registradas em vídeo e que em breve ganharão destaques na TV Doutores no YouTube, confiram! Mas o fato é que tem gente que faz falta mesmo, mas como o dia é feito saia, as coisas giram. E quem está girando, ou melhor, se despedindo do HBL é o Dr. Marciano não entraremos em pormenores quanto a sua saída, pois segue carta abaixo escrita por ele mesmo:

“Caríssimos e nobres colegas,

É com imenso pesar que parto para outras galáxias, ou melhor, outro hospital. Descobrir outros remos, rumos, tralhas e trilhas a serem desbravadas. Quanta falta sentirei de todos e todas do Barão!!! Este foi o meu primeiro hospital e guardarei com muito carinho tudo que aprendi com o Dr.Lui, em primeiro lugar, e com todos que trabalham nele. Sem vocês eu não seria nada! Agradeço de coração: tum, tum,tum,tum… Sentirei falta do jacaré dorminhoco do laguinho, das enfermeiras indo fazer piquenique, da graça da calça rasgada do Lui, dos fuxicos na UTI, ops, do trabalho, as cantorias pra dona Selma na hemodiálise, enfim, de toda a fauna e flora baraoniana. Numa das futuras andanças, me encontrarei com o Dr.Ado no hospital da Restauração para juntos implantarmos uma novíssima pesquisa sobre os PUNS para descobrirmos como é o pum de cada criança diante dos nossos “instrumentos médicos”, os instrumentos musicais, então, por exemplo, mediremos o pum pianinho, o de ventinho discreto, o pum trombone, vulgo bomba, o pum cuíca e por aí vai. Para o melhor desenvolvimento esta pesquisa cada paciente deverá consumir muitas batatas, repolhos e feijão, bem, não preciso entrar nesses detalhes gastronômicos e de grande efeito. Para não me alongar mais porque já estou começando a chorar, buuuuááááááá, quero minha mãe!!!, eu deixo aqui um lindo poema de minha própria autoria, eu mesmo, é claro:
Sentirei saudades de todos e de todas, xiii, já estou me repetindo. Agora vai:

Tô partindo pra outro espaço,
Minha nave é o coração.
Ele vai carregadinho
das lembranças do Barão
e para vocês que ficam
um abraço e um beijão. ”

E mudando de assunto, registramos também as tantas vezes que fomos confundidos por PATATI e PATATÁ. Gostaríamos de deixar claro que nossos nomes estão registrados e abalizados na mais alta cúpula da BESTEIROLOGIA e que devemos “zelar” para que não sejamos confundidos com a famosa dupla acima citada. Até porque nós também somos famosos. Kkkkkkkkkkkkkkkkk!

E como não poderíamos deixar de falar segue uma reminiscência da ciência infantil: O Tito é um garoto que vivia atrás da gente. Quando chegávamos ele colava em nós, parecia imã de geladeira. Queria brincar o tempo todo. Tudo parou quando ele viu uma lagartixa e falou:
– Olha a galatixa!!!

Risada geral. O Lui foi ensinar a ele a palavra certa. Quem disse que ele acertava! Saiu de várias maneiras:
Gagatixa, zalatixa, laçatixa, gilatixa, talatixa e por aí vai.

Nos divertimos muito. Até que finalmente, o Tito começou a falar certo. Mas seria tão bom se pudéssemos falar como a gente sente, não é? Bem, na verdade ia ser uma torre de Babel! Às vezes, falando a mesma língua a gente já não se entende. Então, fica na lembrança esses momentos de criança que cada um de nós guarda, como falar a palavra que pensávamos que era. E ficou em nós a “galatixa” do Tito. E quantos de nós temos uma palavra que dizíamos quando éramos pequenos?
– E se alguém perguntar por mim?
– Diz que fui na galáxia ver “galatixa” virar lagartixa pregada nas palavras de despedidas!

Dr. Lui (Luciano Pontes)
Dr. Marciano (Márcio Carneiro)