Doutores recomenda: A Deus Dará, espetáculo de ex-alunos da Escola

Tempo de leitura: 1 minuto(s)

Tão especial quanto indicar espetáculos de artistas do elenco do Doutores da Alegria é recomendar espetáculos com alunos formados pela nossa Escola. 

Jovens artistas que enveredaram pelo caminho da arte do palhaço e levam suas criações a espaços pela cidade. Quatro deles, formados pelo Programa de Formação de Palhaço para Jovens, integram o Grupo Manada e apresentam neste mês a peça A Deus Dará.

cartaz a4

O mote é um mundo devastado pela guerra, onde três palhaços sobreviventes celebram o ano novo dentro de um bunker, no subsolo de um deserto. Entre as tentativas frustradas de realizar uma festa no limite da precariedade, variando do cômico ao trágico, surgem reflexões sobre a desesperança, a ingenuidade, a sobrevivência e a pequenez humana.

A Deus Dará é apresentado de 5 a 13 de agosto, sábado às 21h e domingo às 19h, na Cia do Pássaro – Voo e Teatro (Rua Álvaro de Carvalho, 177 – Centro, São Paulo). O ingresso custa R$ 20 e a classificação é 14 anos.

Mais informações em 
https://www.facebook.com/events/141772079741075
.

Doutores recomenda: dois espetáculos com artistas do elenco de Recife em SP

Tempo de leitura: 1 minuto(s)

Os pequenos pacientes de hospitais do Recife já devem estar com saudade de Dr. Ado e Dr. Lui. É que os besteirologistas fizeram as malas pra passar um tempinho em São Paulo…

IMG_0800

Mas calma, criançada, logo eles estão de volta! Durante o mês de agosto, Arilson Lopes e Luciano Pontes deixam o nariz vermelho de lado para encarnar outros personagens nos espetáculos As Travessuras de Mané Gostoso e Seu Rei Mandou, da Cia Meias Palavras. A companhia pernambucana usa recursos da literatura, da oralidade e da música de forma bem humorada e em diálogo com a plateia.

As Travessuras de Mané Gostoso é inspirado no teatro popular de bonecos do Brasil, o mamulengo, e na literatura de cordel. A história traz Mané Gostoso, um ‘inventador’ de causos que é apaixonado pela mocinha Anarinae, e Bibiu, um forasteiro que acaba causando uma grande disputa que envolve a fofoqueira Comadre Zuzinha e o cabo Zé Firmino. Os bonecos da peça foram concebidos por Rai Bento, artista pernambucano integrante do grupo Giramundo, e esculpidos em madeira de mulungu pelo mestre Tonho de Pombos. O mais divertido é que a plateia, no início da peça, é quem decide (de verdade!) qual dos atores vai encenar o personagem-título da história. 

Mane-Gostoso-Rogerio-Alves-031

Seu Rei Mandou traz para o palco histórias que tratam do universo fabuloso dos reis através de releituras cômicas e poéticas, ora críticas, mas sempre lúdicas. A peça promove um diálogo entre a contação de histórias, a música e o teatro de formas animadas em três contos: A Lavadeira RealO Rato que roeu a Roupa do Rei de Roma e O Rei chinês Reinaldo Reis. O público é convidado a ser o coautor do espetáculo, ao participar de cenas ou cantar com o elenco, sempre acompanhado pela flauta e tambor do músico Gustavo Vilar.

seu rei mandou - Lana Pinho_-125

SERVIÇO

As Travessuras de Mané Gostoso
Sesc Consolação (Teatro Anchieta) – Rua Dr. Vila Nova, 245, São Paulo
12, 19 e 26 de agosto, sábados, às 11h
Ingressos: R$ 17; R$ 8,50 (meia); R$ 5 (credencial Sesc) e grátis para crianças até 12 anos
50 minutos
Especialmente recomendado para crianças a partir de 6 anos
280 lugares

Seu Rei Mandou
Sesc Pinheiros (auditório do 3º andar) – Rua Paes Leme, 195, São Paulo
13, 20 e 27 de agosto, domingos, às 15 e às 17h
Ingressos: R$ 17; R$ 8,50 (meia); R$ 5 (credencial Sesc) e grátis para crianças até 12 anos
45 minutos
Especialmente recomendado para crianças a partir de 5 anos
98 lugares

Doutores recomenda: Refugo Urbano no Sesc Belenzinho

Tempo de leitura: 1 minuto(s)

A peça Refugo Urbano, já recomendada neste Blog, é apresentada na programação do Sesc, em São Paulo.

As apresentações acontecem neste final de semana, 5 e 6 de agosto, às 17h no Sesc Belenzinho, em São Paulo. Os ingressos são gratuitos e podem ser retirados com uma hora de antecedência na bilheteria (Rua Padre Adelino, 1.000, Belenzinho).

Foto 5 -  Patricia Nagano

Refugo Urbano é uma delicada fábula urbana que nasceu na experiência vivida com intervenções nas periferias da cidade. O palhaço na pele de um lixeiro e de uma moradora de rua. Entre o lixo e os restos de sobrevivência eles se conhecem e, juntos, descobrirão o que há de mágico na trágica crueza das ruas.

Contado pela Trupe Dunavô, o espetáculo foi eleito Melhor Espetáculo Infantil de 2015 pelos leitores do Guia Folha, venceu na categoria “sustentabilidade” o Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem e, nesta mesma premiação, teve Gabi Zanola indicada a melhor atriz. 

Foto 4 - Patricia Nagano

Gabi Zanola e Renato Ribeiro, integrantes da trupe, participaram do Programa de Formação de Palhaço para Jovens, iniciativa da Escola dos Doutores da Alegria. A dramaturgia é de Nereu Afonso e a preparação corporal é de Ronaldo Aguiar, ambos integrantes do elenco do Doutores da Alegria.

O espetáculo traz ainda brincadeiras circenses, corpo cômico, malabarismo e o divertido jogo do palhaço. Doutores recomenda! 

Serviço

Refugo Urbano
Sesc Belenzinho – Sala de Espetáculos 2 (Rua Padre Adelino, 1.000, Belenzinho)
Sábado, 5 e domingo, 6 de agosto
Duração: 55 minutos
Classificação: livre
Ingressos: gratuitos e retirados com uma hora de antecedência

Doutores recomenda: Maratona Angu, em Recife

Tempo de leitura: 2 minuto(s)

A recomendação cultural desta semana traz um ator e palhaço que integra o Doutores da Alegria desde 2006.

Restauração - Lana Pinho-1

Arilson Lopes é coordenador artístico da unidade Recife e atua nos hospitais da cidade como Dr. Ado. Mas além da Besteirologia, Arilson também comemora os 15 anos do Coletivo Angu de Teatro, grupo atuante da cena teatral recifense que leva para o palco questões sociais, psicológicas e políticas, questionando valores de uma sociedade conservadora. Entre suas criações está Angu de Sangue, uma adaptação do premiado escritor Marcelino Freire.

De 29 de junho a 15 de julho, o grupo traz a Maratona Angu, uma mostra de seu repertório, ao teatro da Caixa Cultural Recife. O repertório inclui os espetáculos Angu de Sangue, Ossos e Ópera, além de oficinas gratuitas sobre técnica e pensamento teatrais que orientaram a trajetória do coletivo.

coletivo angu (2)

A Caixa Cultural fica na Avenida Alfredo Lisboa, 505, no Recife Antigo. Os ingressos custam R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia entrada) e podem ser retirados na bilheteria (telefone (81) 3425-1900).

MOSTRA DE ESPETÁCULOS

Angu de Sangue – 29 e 30/06 às 20h e 1/07 às 17h e às 20h
(sessão das 17h com tradução em libras)
Multimídia, o espetáculo Angu de Sangue nasceu em 2004. De lá até aqui, a companhia já realizou dezenas de apresentações pelo país, sempre com o forte tom dramático que marca a produção literária do escritor pernambucano Marcelino Freire. As dez histórias que ganham o palco despertam emoções fortes na plateia, sugerindo questionamentos sobre solidão, desigualdade social, descaso e preconceito no cotidiano das grandes cidades.

Ossos – 6 e 7/07 às 20h e 8/07 às 17h e às 20h
(sessão das 17h com tradução em libras)
A obra de Marcelino mereceu mais um espetáculo do Angu (2016). Em Ossos, o espectador vivencia uma história de amor, exílio e morte, a partir da viagem do dramaturgo Heleno de Gusmão, que sob o pretexto de entregar os restos mortais de seu amante aos familiares, percorre um caminho tortuoso de lembranças e reencontro com suas origens.

Ópera – 13 e 14/07 às 20h e 15/07 às 17h e às 20h
(sessão das 17h com tradução em libras)

Quatro histórias do autor e dramaturgo pernambucano Newton Moreno, marcadas por uma crítica social contundente e que estimulam o questionamento de valores e dificuldades do nosso tempo, ganham o palco com Ópera. Estreado em 2007, o espetáculo investiga as possibilidades de cruzamento estético entre homoerotismo/sexualidade e teatro, a partir do compromisso com a dramaturgia e com a linguagem contemporânea. O conto que empresta o nome ao espetáculo, por exemplo, trata de um caso de submissão amorosa mantida entre um cantor de ópera e um garoto de programa. É encenado como um melodrama, uma micro ópera pós-moderna, fragmentada e com recursos de metalinguagem.

OFICINAS

Os interessados devem enviar currículo e carta de intenção para o e-mail infos.angu@gmail.com.

Mexendo com o pós-dramático – 1/07 das 9h às 13h
inscrições encerradas
Sob a orientação do diretor e cenógrafo do grupo, Marcondes Lima, e do ator Ivo Barreto, a oficina está estruturada nas dinâmicas de trabalho desenvolvidas pelo Coletivo, a partir de textos não escritos para teatro. A atividade de caráter prático, com abertura para reflexões e estudos teóricos, é voltada para atrizes, atores, diretoras e diretores iniciantes. 

O pensamento dos elementos visuais na cena – 8/07 das 9h às 13h
inscrições até 4/07 – divulgação dos selecionados em 6/07
Ministrado por Marcondes Lima, o minicurso vai compartilhar as sistemáticas de concepção dos elementos visuais (cenário, caracterização visual de personagens e iluminação) nos espetáculos do Coletivo, com enfoque maior sobre o trabalho em Ossos. Desafios criativos serão experimentados pelos participantes.

Operando sobre a arte da trucagem – 15/07 das 9h às 13h
inscrições até 12/07 – divulgação dos selecionados em 13/07
Exercícios práticos e estudos reflexivos sobre aspectos da cena queer, com foco no domínio de técnicas da arte transformista. É a proposta da oficina, que será facilitada por Marcondes Lima e pelo ator Arilson Lopes. Performers, estudantes de teatro, atores e atrizes profissionais, drag queens e simpatizantes do transformismo são o público-alvo da atividade.

Doutores recomenda: “Se fosse fácil, não teria graça”, de Nando Bolognesi

Tempo de leitura: 1 minuto(s)

Nando Bolognesi, ou Palhaço Comendador Nelson, integrou o elenco do Doutores da Alegria há alguns anos.

Aos 21 anos, ele descobriu ser portador de esclerose múltipla. Hoje, aos 47 anos, ele traz mais uma vez para o Teatro Tucarena, em São Paulo, o espetáculo Se fosse fácil não teria graça, em que relata como superou as dificuldades da doença degenerativa e incurável. A temporada corre de 1 a 30 de julho, às sextas, sábados e domingos.

Nando usa a experiência como palhaço na vida real para contar, de maneira emocionante e divertida, como tem enfrentado as situações mais corriqueiras. Nesta tragicomédia, já assistida por mais de 20 mil pessoas, ele provoca risos e emoção ao mostrar como dificuldades podem ser transformadas em alegrias, desafios e realizações, e convida a refletir sobre a vida, a morte e a existência humana.

E com a intenção de realizar uma temporada da peça totalmente independente, foi criada uma campanha colaborativa neste site.

Onde, quando?

De 1 a 30 de julho de 2017
Sextas e sábados às 21h e domingos às 18h

Teatro Tucarena – Rua Monte Alegre, 1024 – Perdizes, São Paulo
Duração: 80 minutos
Indicação de faixa etária: 14 anos
Capacidade: 176 lugares
Ingressos: R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia entrada) e R$ 15 (estudantes, professores e funcionários da PUC)
bilheteria: terça-feira a domingo das 14h às 20h
www.ingressorapido.com.br 
(11) 4003-1212

Doutores recomenda: mostra Mão Molenga Teatro de Bonecos

Tempo de leitura: 1 minuto(s)

Embora seja conhecido nos hospitais de Recife como Dr. Eu Zébio, o ator Fábio Caio também é famoso por seus trabalhos no Mão Molenga de Teatro de Bonecos.

Desde 1986, o coletivo – formado por Fábio Caio, Carla Denise, Marcondes Lima, Fátima Caio – resgata e preserva a tradição dos mamulengos na história do teatro em Pernambuco. O estado é considerado um dos berços do mamulengo, fantoche típico do nordeste brasileiro.

206547,930,80,0,0,930,522,0,0,0,0

E para celebrar o legado de 30 anos e aproximar o público do trabalho, a mostra “Mão Molenga – Cenas de uma história” está em cartaz em Recife, na Galeria Corbiniano Lins (Sesc Santo Amaro).

Durante seis anos, o Mão Molenga se dedicou a filmar uma série sobre passagens importantes dos 500 anos do Brasil. Cerca de 50 bonecos foram restaurados, entre eles personagens da família real, como Dom Pedro I, Dom Pedro II em várias fases, a princesa Leopoldina, dona Maria I, além de nomes como José Bonifácio, Zumbi dos Palmares, José do Patrocínio e Joaquim Nabuco.

IMG_9019

A exposição é gratuita e conta com trechos acessíveis a espectadores surdos ou com baixa audição, e cegos, ou com baixa visão, e poderá ter visitas guiadas sob agendamento para esses públicos específicos. E a comemoração inclui ainda oficinas, debates e apresentações de três espetáculos do repertório do grupo (Babau, O fio mágico e Algodão doce), além de exposição virtual.

Clique aqui para fazer o download do flyer da programação completa ou veja abaixo.

blog_sep

Exposição “Mão Molenga – Cenas de uma história”

Segunda a sexta, das 9h às 17h, até 28 de julho
Galeria Corbiniano Lins (Sesc Santo Amaro – Rua Treze de Maio, 455, Santo Amaro)
Entrada gratuita
Informações e agendamento: (81) 3216-1728

Oficina Construção de bonecos

20 de maio a 17 de junho, aos sábados, das 9h às 12h
Sesc Santo Amaro
R$ 40 e R$ 20 (comerciários e dependentes)
Inscrições: Sesc Santo Amaro ou pelo telefone (81) 3216-1728

Roda de conversa: 500 anos, a série – Os bonecos no audiovisual pernambucano

23 de maio às 19h
Teatro Marco Camarotti (Sesc Santo Amaro)
Entrada gratuita 

Debate sobre teatro de animação em Pernambuco

31 de maio às 19h
Teatro Marco Camarotti (Sesc Santo Amaro)
Entrada gratuita

Lançamento da exposição virtual

30 de junho às 17h
Galeria Corbiniano Lins (Sesc Santo Amaro)

Espetáculo “Babau”

27 de maio às 16h
Teatro Marco Camarotti (Sesc Santo Amaro)
R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)

Espetáculo “O fio mágico”

28 de maio às 16h
Teatro Marco Camarotti (Sesc Santo Amaro)
R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)

Espetáculo “Algodão doce”

28 de julho às 10h
Teatro Marco Camarotti
R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)

Doutores recomenda: livro Uma Andorinha Só

Tempo de leitura: 1 minuto(s)

Ator, palhaço, escritor, ilustrador, designer gráfico e contador de histórias. Luciano Pontes, conhecido nos hospitais recifenses como Dr. Lui, é o dono desse currículo.
E ainda tem mais um: é besteirologista.

IMIP - Lana Pinho-77

Autor de diversos livros infantis, Luciano lançou semana passada, durante a Jornada Potiguar de Leitura e Educação, o novo livro “Uma Andorinha Só”, pela editora Comunique.

O ditado popular “uma andorinha só não faz verão” serviu de inspiração para falar sobre o poder da natureza e da criação. O livro ilustrado tem 38 páginas e foi impresso em apenas duas cores (preto e verde). A terceira cor vem do próprio papel kraft, que lembra os tons e a textura da terra. 

Além da escrita, ele também assina as ilustrações e o projeto gráfico do livro

CAPA Uma Andorinha Só divulgação

A história conta o surgimento repentino de uma árvore no meio de terra seca e vazia, que segue crescendo com ajuda da chuva, do sol e do vento. Com frases curtas e analogias, Luciano constrói um texto poético e crítico, alertando para as ações individuais e coletivas que podem modificar o planeta.

A oralidade e contos populares sempre foram um campo de investigação do autor para seus livros e espetáculos teatrais. “As histórias da tradição oral constituem um patrimônio da alma brasileira, por ela aprendemos sobre os mistérios, poder, amor e sonhos de um povo que sabe o que dizer”, conta ele.

O livro pode ser adquirido pelo site da editora.
Clique aqui para ler as histórias de hospital contadas pelo Dr. Lui neste Blog.

Doutores recomenda: O Jardim do Imperador

Tempo de leitura: 0 minuto(s)

Um imperador propõe um concurso entre as crianças do reino para ver quem melhor cultiva plantas para o jardim. O vencedor será escolhido como seu sucessor.

É com esta história que as atrizes Paola Musatti e Vera Abbud dão vida a diversos personagens, entre elas as palhaças Manela e Emily, no espetáculo infantil “O Jardim do Imperador”, da Cia Pelo Cano.

IMG_0912

Ambas integram o elenco do Doutores da Alegria, sendo Vera a mais antiga palhaça em atuação nos hospitais, e trabalham com a linguagem da palhaçaria há mais de 20 anos.

O espetáculo segue em cartaz no Sesc Vila Mariana (Rua Pelotas, 141, em São Paulo), todos os domingos às 15h. Ingressos a R$ 17 (inteira) e R$ 8 (meia entrada). Acesse o site.

Doutores 

 Doutores recomenda!

Doutores recomenda: Animo Festas

Tempo de leitura: 1 minuto(s)

Em março o Espaço Parlapatões recebe uma figura inusitada: o palhaço Klaus, célebre animador de festas infantis.

O espetáculo “Animo Festas” traz um humor sarcástico, o avesso da máscara do palhaço. Klaus representa o homem maduro e fracassado que percebe que trilhou uma vida medíocre, buscando apenas a sobrevivência. 

12.2016-Circo-Animo-Festas-créd.-Gabriel-Rachid-3-640x427

IMG_1346

Nesta narrativa solitária, as festas infantis são o pano de fundo para questões sobre a felicidade, o valor trabalho artístico e as escolhas que fazemos para viver ou sobreviver. Klaus é criação do ator Márcio Douglas, que atua como palhaço no Doutores da Alegria. Clique aqui para ver um trecho da peça

As sessões acontecem de 3 a 31 de março, todas as sextas-feiras à meia-noite no Espaço Parlapatões (Praça Roosevelt, 158 – Centro de São Paulo) e os ingressos custam R$ 40 e R$ 20 (meia entrada). 

63694605719f4638ab0c3b4518c141a8

Doutores recomenda: Seu Rei Mandou e Mostra Las Cabaças 10 anos

Tempo de leitura: 1 minuto(s)

Doutores da Alegria traz duas dicas culturais para aproveitar as férias em São Paulo:

Seu Rei Mandou, para curtir com a criançada, e a Mostra Las Cabaças 10 Anos, com um repertório incrível de duas palhaças que exploraram a Amazônia.

Seu Rei Mandou

Seu Rei Mandou _Foto Lana Pinho

O espetáculo Seu Rei Mandou, da Cia Meias Palavras, traz para o palco histórias que tratam do universo fabuloso dos reis através de releituras cômicas e poéticas, ora críticas, mas sempre lúdicas.

A montagem tem texto, direção, figurinos e atuação de Luciano Pontes – conhecido nos hospitais pernambucanos como Dr. Lui –, acompanhado no palco pela flauta e tambor do músico Gustavo Vilar.

A peça promove um diálogo entre a contação de histórias, a música e o teatro de formas animadas em três contos: A Lavadeira Real, O Rato que roeu a Roupa do Rei de Roma e O Rei chinês Reinaldo Reis.

Quando e onde?

Somente nos dias 9 e 10 de julho (sábado e domingo) às 16h no Instituto Itaú Cultural. Ingressos gratuitos distribuídos com uma hora de antecedência.

veja aqui mais informações sobre Seu Rei Mandou

blog_sep

MOSTRA LAS CABAÇAS 10 ANOS 

ODiaDaCaca_LasCabacas_fotoPabloSaborido (1)

Las Cabaças é um grupo formado em 2006 pelas palhaças Juliana Balsalobre (Bifi) e Marina Quinan (Quinan), ex-integrantes do Doutores da Alegria. Naquele ano, a dupla embarcou em uma viagem pelo Norte e Nordeste do Brasil, pesquisando e coletando materiais em seus encontros com o público e outros palhaços. Em 2009, fixaram residência em Alter do Chão, no Pará.

A dupla foi descobrindo o que há de universal no riso e o que há de mais genuíno na relação com o outro. E as experiências vividas nas pequenas comunidades se transformaram em roteiros teatrais através da linguagem do palhaço. 

Quando e onde?

Até 21 de agosto, a Mostra Las Cabaças 10 anos traz três espetáculos do seu repertório, com a estreia do terceiro, ao Sesc Pompeia, em São Paulo. Sábados e domingos, com ingressos entre R$ 5 e R$ 17 reais.

veja aqui a programação da Mostra Las Cabaças 10 Anos

As férias estão só começando… Traremos mais sugestões culturais em breve! :)