BLOG
 

Dois pais, dois bebês e uma TV que precisava de cirurgia

Tempo de leitura: 1 minuto(s)

Parecia um dia normal de consultas e exames besteirológicos na rotina de Dr. Sandoval e Dr. Valdisney. Mas apenas parecia…

Entram os dois os dois médicos besteirologistas num quarto da Pediatria. Lá estavam dois pais, dois bebês e uma televisão. E tinha um clima de frustração no ar, assim como uma TV, fora do ar.

Os pais fizeram uma vaquinha para comprar um aparelho que aparentemente faria funcionar o sinal da TV, que estava ruim, para poderem assistir a desenhos animados (os bebês!) e jogos de futebol (os pais!). Tentaram de todas as formas, mas nem a TV e nem o aparelho funcionavam. Eis então a grande ideia: cirurgia na televisão.

IMG_8297

Sim, Sandoval e Valdisney fizeram pequenos exames de avaliação na paciente televisão. Valdisney entrelaça seus cabelos à antena da TV. Nada. Sandoval dá pequenos tapinhas delicados. Nada. Diversos procedimentos sem sucesso. Enquanto isso, os pais observam, esperançosos e intrigados, as ações dos besteirologistas. 

Então começa a parte mais delicada da cirurgia: desmontar tudo e religar o aparelho à TV. O silêncio toma conta do quarto e o suor toma conta de Valdisney e Sandoval, pois estava um calor danado! Não foram 1 ou 2 minutos dedicados à saúde e melhora da TV, e sim 10 minutos de tentativas incansáveis. Tudo religado, cabos devidamente encaixados, antena posicionada, agora bastava fazer o teste. Ligamos a TV e… Nada, nada e nada de imagem e som. 

De repente, próximo à mesa onde servem o almoço para os pacientes, Valdisney avista o controle da TV. Rapidamente passa para as mãos de Sandoval. Começa mais um procedimento. Corrida contra o tempo, pois o programa de futebol iria começar a qualquer instante. A paciente televisão não reagia, será que estaria tudo perdido? Pausa dramática!

IMG_8202

Valdisney faz mais uma troca de cabo e Sandoval segura o controle da TV apertando, incansavelmente, todos os botões. E eis que o que parecia impossível vira realidade: a bendita televisão funciona e se recupera bem após a cirurgia.

Todos se abraçam e comemoram a volta da TV como se fosse um gol do Brasil na Copa do Mundo! Dr. Sandoval e Dr. Valdisney talvez sejam os primeiros besteirologistas a operarem, com sucesso, um aparelho de televisão. 

Sandro Fontes, mais conhecido como Dr. Sandoval, escreve do Hospital do Campo Limpo, em São Paulo.

Ouvidos atentos

Tempo de leitura: 1 minuto(s)

Conhecemos o J. na UTI. Percebemos logo de cara que era um caso gravidíssimo, uma mistura de grave e seríssimo.

Passaram-se semanas e nos encontramos há alguns dias numa das enfermarias. Chegamos bem perto dele e perguntei:
- Sabe quem está falando? 

Ele, que não está enxergando, disse com uma articulação impecável e quase inaudível:
- D- o- u- t- o- r-E-u!  

ouvidos atentos - dr eu

Para em seguida articular:
- C-a-d-e-o-D-o-u-t-o-r-M-a-r-m-e-l-o-? no mesmo tom entrecortado pela traqueostomia. 

Marmelo, meu parceiro de plantões besteirológicos, estava sendo substituído pela Dra. Tan Tan, outra tonta.

Passadas duas semanas, sua mãe veio nos contar uma história.

Quem nunca viu a TV ligada sem ninguém prestar atenção nunca entrou numa enfermaria do Hospital da Restauração. Pois foi justamente num momento de vuco-vuco que uma única pessoa de ouvidos atentos conseguiu identificar – e ele ouviu uma única vez – a voz da Dra. Tan Tan numa entrevista na televisão.

ouvidos atentos - dra tan tan

Foi o J. Ele chamou a atenção de sua mãe, que avisou a todo mundo e, graças aos seus apurados ouvidos, todos na enfermaria puderam assistir à tonta na TV. 

Dr. Eu_zébio (Fábio Caio)
Hospital da Restauração – Recife